Biography

Saturnia is a Psychedelic Artist from Lisbon, Portugal, a creation of multi instrumentalist producer Luis Simões on guitar, sitar, bass pedals, theremin, gong, organ, synthesizer, electric piano, mellotron and vocals.

Formed in the mid nineties by Luis Simões, originally intended to be a communal band Saturnia ended up as a one-man album band, making extremely rare live appearances of Luis Simões plus a guest musician.
Luis Simões has been heading Saturnia and recording essentially on his own Saturnia's seven album discography with a few selected guests, notably Daevid Allen (Gong), Nik Turner (Hawkwind) and Stefan Koglek (Colour Haze), in a reclusive, secretive and success-scornful way, with considerable critical acclaim, for over 15 years making Saturnia the longest running psychedelic Portuguese artist.

Although Saturnia's debut album was a fusion of classic psychedelia with contemporary electronic rhythms, Saturnia's present sound retained hardly anything of its early electronic influences and is much in the spirit of traditional late sixties/early seventies Psychedelic-Space rock-proto Progressive bands; with definite nods to artists like Pulsar, Pink Floyd, Hawkwind, Can, King Crimson, The Doors, Tangerine Dream and even at times dabs of Weather Report or Ravi Shankar. Predominantly instrumental, Saturnia's jam-based, stoned trance spiritual music is dominated by layers of synthesizers, organ, guitars or sitar that weave warm ambiences, alluring effects and drifting melodies around Cool grooves, toped by Simões's soft and haunting vocals.

Biografia

Saturnia é um artista psicadélico de Lisboa, criação do multi-instrumentista e produtor Luís Simões na guitarra, sitar indiano, theremin, gongo, bass pedals, orgão, sintetizador, piano eléctrico, mellotron e voz.

Formado em meados dos anos 90 por Luís Simões, com a ideia de criar uma banda comunal, Saturnia acabou por se transformar numa one-man band de estúdio, fazendo raras aparicões ao vivo, consistindo de Simões e um convidado - sendo destes o mais notável Francisco Rebelo - Orelha Negra. A sua estreia ao vivo acontece na “Hora do Lobo ao vivo” de António Sérgio.

Melómano incontrolável e eclético, Simões alia o seu ethos musical à urgência da partilha estética, como motor para a sua incessante criação; neste processo tocou e gravou com artistas tais como The Gift, Cool Hipnoise, More República Masónica, Blasted Mechanism, Shrine, Ritual Tejo, Lulu Blind, Ena Pá 2000, The Firstborn, Nigga Poison, 31 ou Plastica.
Luís Simões tem dirigido Saturnia e gravado a sua discografia de sete álbuns - através do Label Germânico, Elektrohasch - essencialmente sozinho com alguns convidados selecionados, como Daevid Allen(Gong), Nik Turner(Hawkwind) e Stefan Koglek(Colour Haze), de uma forma reclusiva, secretista e ignorando qualquer tipo de sucesso mais ou menos standardizado, sempre com críticas notáveis, há mais de 15 anos, o que faz dos Saturnia o artista psicadélico Português há mais tempo no activo.

Apesar de o primeiro álbum de Saturnia ser uma fusão de psicadelia clássica com ritmos electrónicos contemporâneos, sete álbuns mais tarde, o actual som de Saturnia reteve pouco ou nada das suas influências electrónicas iniciais e está muito mais no espírito de bandas do fim dos anos 60/início dos anos 70 de space-rock-psicadélico, proto-progressivo; com assumidos piscares de olho a artistas como Pulsar, Pink Floyd, Hawkwind, Can, King Crimson, The Doors, Tangerine Dream e por vezes até toques de Weather Report ou Ravi Shankar.
Predominantemente instrumental, a música de transe semi improvisacional de Saturnia é dominada por camadas de orgão, sintetizador, guitarra e sitar que tecem ambientes calmos, efeitos hipnóticos e melodias esvoaçantes em torno de grooves fundamentais, tudo encimado pela voz suave de Luís Simões.