SATURNIA em audição

Como é possivel que o pessoal (jornalistas, radialistas, bloggers etc) insiste em apresentar o balanço referente aos melhores discos editados num determinado ano antes do ano terminar? A revista Blitz apresentou o rescaldo logo na edição de Novembro. Incompreensivel! Discos como este "Alpha Omega Alpha", recente viagem de contornos psicadélicos de SATURNIA, são um mundo á parte. São outras músicas, esta é intemporal e podia ter sido editada em qualquer mês do ano, em qualquer ano, desde a década de sessenta até aos nossos dias! estou a digerir o disco com calma. É assim que tem de ser, não há outra forma. Entretanto apanhei esta review muito interessante.
"Como é possível que este disco tenha passado em claro das lupas nacionais, é uma questão sem resposta para quem tinha debaixo de olho estes Saturnia, desde 1996. Decididamente, Portugal em 2012 foi tingindo em tons psicadélicos seja pelos trabalhos dos Black Bombaim, dos Gala Drop ou por esta encarnação transcendental de Luís Simões E quem é este multi-instrumentista português? Devem conhecê-lo como Zymon, o mascarado guitarrista dos Blasted Mechanism que ganha nestes Saturnia uma nova vida  interceptada com o ragga-rock e  com o indo-prog, elevados a linguagens musicais por John Mcloughlin ou pelo francês André Fertier. Escalas arábicas, sítaras, baixo, theremin, órgão, mellotron e sintetizadores são cozinhados ao ritmo de cânticos sussurrados neste quinto testemunho, que tem em “I am Utopia”, “Trance Dance” ou “tetrahedron” canções maiores na terapia tântrica deste cânone bíblico. No mês em que vimos partir a alma homérica de Ravi Shankar, não há como ignorar que este "Alpha Omega Alpha" foi o melhor (duplo) álbum que ouvimos a homenageá-lo. Simbolicamente, Luís foi ao fim do mundo e voltou."

Tribos Lusitanas 28/12/2012  Manuel A. Fernandes